UEM 2009 – inverno

Questão 01
Assinale o que for correto sobre a estrutura e a
estratificação social brasileira no período compreendido
entre 1950 e 1980.
 
01) O processo de modernização capitalista adotado pelo
regime militar modificou radicalmente a estrutura
agrária baseada no modelo concentrador de terras,
promovendo uma ampla reforma dos latifúndios
improdutivos e eliminando as condições precárias de
trabalho no campo.
02) Um dos efeitos do chamado “milagre econômico” foi
a ascensão social dos trabalhadores domésticos,
sobretudo das mulheres empregadas em serviços de
limpeza em residências.
04) A expansão da produção industrial promoveu a
valorização de profissões associadas ao novo padrão
de gestão e organização do trabalho, que se tornou
mais burocratizado e racionalizado.
08) As perspectivas de ascensão social alimentadas pela
classe média foram reforçadas pela consolidação do
sistema universitário que, por meio da educação
superior, criou novas possibilidades de qualificação
profissional.
16) A camada de trabalhadores especializados foi
ampliada em setores significativos da expansão
produtiva, tais como a indústria automobilística,
alterando o perfil do proletariado de regiões
altamente industrializadas.
 
resposta: 28

UEM 2008 – verão

Questão 15
Sobre a formação das classes sociais no Brasil, no
período de transição do trabalho escravo para o livre,
assinale o que for correto.
 
01) A produção do café para exportação contou com o
emprego de uma mão-de-obra livre, a dos colonos,
mas não necessariamente assalariada.
02) A expansão da cafeicultura estimulou o crescimento
de cidades como São Paulo, que demandavam
alimentos ofertados, principalmente, pelas lavouras
dos colonos, trabalhadores livres que,
paulatinamente, substituíram o trabalho escravo.
04) Durante o período em que vigorou a escravidão, o
mercado consumidor de produtos localmente
manufaturados era grande, tornando possível
identificar uma produção industrial intensa e,
portanto, uma classe operária constituída.
08) Nos cafezais em formação, o colono tinha permissão
para cultivar alimentos entre os pés de café, sendo
essa prática uma das principais características do
regime de colonato, um estágio tido como transitório
pelo colono e por sua família.
16) A construção acelerada das estradas de ferro nas
últimas décadas do século XIX, a elevação de tarifas
aduaneiras e a substituição do trabalho escravo pelo
trabalho livre foram medidas que inviabilizaram um
modelo de desenvolvimento econômico que
conduziria à consolidação de duas classes sociais no
Brasil: a burguesia e o proletariado.
 
resposta: 11

UEM 2008 – inverno

10 – Em termos sociológicos, assinale o que for correto
sobre o conceito de classes sociais.
 
01) Sua utilização visa explicar as formas pelas
quais as desigualdades se estruturam e se
reproduzem nas sociedades.
02) De acordo com Karl Marx, as relações entre as
classes sociais transformam-se ao longo da
história conforme a dinâmica dos modos de
produção.
04) As classes sociais, para Marx, definem-se,
sobretudo, pelas relações de cooperação que se
desenvolvem entre os diversos grupos
envolvidos no sistema produtivo.
08) A formação de uma classe social, como os
proletários, só se realiza na sua relação com a
classe opositora, no caso do exemplo, a
burguesia.
16) A afirmação “a história da humanidade é a
história das lutas de classes” expressa a idéia de
que as transformações sociais estão
profundamente associadas às contradições
existentes entre as classes.
 
resposta: 27

A ascensão conservadora em São Paulo

Fala da professora Marilena Chaui, no debate A ascensão conservadora em São Paulo, realizado em 28 de agosto de 2012, na Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.  Apresenta crítica ao padrão cultural autoritário, comum na sociedade paulistana, seu caráter privatista e reacionário.

UEM 2007 – inverno

69 – Tendo como referência as inúmeras mudanças no
mundo do trabalho e as suas conseqüências nas
sociedades contemporâneas, assinale a alternativa
correta.
A) Segundo Karl Marx, a sociedade capitalista está
dividida em duas classes sociais antagônicas: a
burguesia (proprietária dos meios de produção) e
o proletariado (que só dispõe de sua força de
trabalho). Dessa estrutura de classes deriva o
sistema de trabalho assalariado, que consiste na
venda da força de trabalho dos proletários para
os capitalistas em troca de um salário.
B) Apesar do intenso processo de industrialização e
urbanização verificado no Brasil nos últimos 50
anos, a família brasileira não sofreu qualquer
alteração, mantendo intactos os padrões de
organização da família patriarcal-rural.
C) Na sociedade industrial, as desigualdades
existentes entre homens e mulheres se
sedimentaram. No que diz respeito à participação
feminina na força de trabalho, as mulheres
contribuem exclusivamente como donas de casa
ou em profissões relacionadas ao “mundo
doméstico”, como cozinheiras, domésticas ou
babás.
D) Embora as revoluções burguesas tenham
instituído o Estado liberal-democrático em vários
países no século XIX, os partidos políticos só
surgiram no século XX.
E) Embora tivessem sérias divergências quanto ao
papel do Estado na economia, os primeiros
pensadores liberais e os socialistas comungavam
da mesma interpretação sobre a origem da
desigualdade social e da pobreza nas sociedades
industriais.
resposta: A

UEL 2009

24) A palavra “comunidade” entrou no vocabulário popular. É comum ouvir-se, por exemplo, a frase: “UEL promove curso voltado à comunidade”. Utilizada no dia-a-dia, “comunidade” é, no entanto, um conceito fundamental no interior do pensamento sociológico clássico. Para Durhan, na linguagem comum, a noção de comunidade refere-se a uma coletividade na qual os participantes possuem interesses comuns e estão afetivamente identificados uns com os outros. Essa idéia, que pressupõe harmonia nas relações sociais, é altamente valorizada, constituindo, por assim dizer, o ideal da vida social. É nesse sentido que a comunidade aparece como um mito do nosso tempo, pois ao ideal que ela representa opõe-se a realidade do conflito de interesses e da impessoalidade das relações sociais própria da nossa sociedade. (DURHAN, E. R. A dinâmica da cultura. São Paulo: COSACNAIFY, 2004. p. 221.)
 
Com base no enunciado e nos conhecimentos sobre o tema comunidade, considere as afirmativas a seguir.
I. A comunidade, para Tönnies, é um tipo de relação entre vontades humanas caracterizada por uma vontade
social baseada na concordância, nas regras sociais comumente aceitas e na religião.
II. A base da comunidade, de acordo com Weber, reside, a exemplo do que acontece na sociedade, em uma
relação na qual a ação social exprime uma compreensão de interesses por motivos racionais de fins ou de
valores.
III. Segundo Marx, a verdadeira relação de comunidade só é possível no comunismo. Portanto, comunidade e
sociedade de classes são incompatíveis.
IV. A oposição comunidade-sociedade corresponde, de certa forma, à oposição entre solidariedade mecânica
e solidariedade orgânica, introduzida na sociologia francesa por Émile Durkheim.
 
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
 
resposta: D

UEL 2010

27) Observe a tabela a seguir elaborada por Pierre Bourdieu:

(Adaptado de: BOURDIEU, P. Distinction… op. cit. apêndice 3. Tabela A6, p. 534. In. ALMEIDA, H. B.; SZWAKO, J. E. (orgs.). Diferenças, Igualdade. São Paulo: Berlendis & Vertecchia, 2009, p. 50.)

 

Com base na tabela, é correto afirmar:
a) A pesquisa sobre as classes sociais indica as similitudes e simetrias dos gostos e práticas sociais das classes baixas, médias e superiores.
b) A pesquisa sobre as classes baixas, médias e altas revela o quanto a dimensão cultural dificilmente coincide com a dimensão econômica das diferenças.
c) A pesquisa sobre a dimensão cultural das classes sociais demonstra que há diferenças nos seus estilos de vida e de consumo.
d) A pesquisa sobre as classes sociais e suas hierarquias desautorizam as afirmações sobre possíveis assimetrias nas escolhas de consumo.
e) A pesquisa sobre o consumo e as prática sociais das três classes denuncia a apropriação da cultura popular pelas classes superiores.

 

Resposta: C

UEL 2010

26) A questão das classes sociais na Sociologia tem diferentes formas de explicação. Dentre as explicações clássicas, as de Marx e Weber. Atualmente encontramos estudiosos que analisam a estrutura social brasileira de diferentes maneiras:
  1. A Classe C é a classe central, abaixo da A e B e acima da D e E. […] a faixa C central está compreendida entre os R$ 1064 e os R$ 4561 a preços de hoje na grande São Paulo. A nossa classe C está compreendida entre os, imediatamente acima dos 50% mais pobres e os 10% mais ricos na virada do século. […] A nossa classe C aufere em média a renda média da sociedade, ou seja, é classe média no sentido estatístico. A classe C é a imagem mais próxima da média da sociedade brasileira. Dada a desigualdade, a renda média brasileira é alta em relação aos estratos inferiores da distribuição. (Adaptado de: NERI, M. C.; COUTINHO DE MELO, L. C. (coordenadores). Miséria e a nova classe média na década da igualdade. Rio de Janeiro: FGV/IBRE, CPS, 2008, p. 34-35.)
  2. A reorganização do processo de acumulação no Brasil [após os anos de 1990] acarreta consequências imediatas nas relações sociais, no trabalho, no emprego e nas classes sociais dele resultantes. Assim, podemos concordar que o operariado industrial perdeu o seu peso relativo na nossa sociedade […]. É certo que a classe trabalhadora […] se multiplicou em diferentes grupos sociais, uns talvez mais atomizados ou desorganizados […]. Também percebe-se, […] que houve um processo de financeirização da classe hegemônica brasileira, que acabou reduzindo ainda mais os setores dominantes, sobretudo entre os banqueiros, as multinacionais e os grupos econômicos, mesclados entre si com o capital financeiro e o capital internacional.(Adaptado de: OLIVEIRA, F. et al. Classes sociais em mudança e a luta pelo socialismo. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2002, p. 27-28.)
Considerando as duas teorias e os dois tipos de análise dos estudiosos, é correto afirmar que as análises de
a) I e II concordam com Max Weber simultaneamente.
b) I e II concordam com Karl Marx simultaneamente.
c) II concorda com Max Weber e as de I com Karl Marx.
d) I e II discordam igualmente com Karl Marx e com Max Weber.
e) II concorda com Karl Marx e as de I concorda com Max Weber.

 

Resposta: E

Blog Stats

  • 1.358.634 visitas
%d blogueiros gostam disto: