UEM 2009 – inverno

Questão 01
Assinale o que for correto sobre a estrutura e a
estratificação social brasileira no período compreendido
entre 1950 e 1980.
 
01) O processo de modernização capitalista adotado pelo
regime militar modificou radicalmente a estrutura
agrária baseada no modelo concentrador de terras,
promovendo uma ampla reforma dos latifúndios
improdutivos e eliminando as condições precárias de
trabalho no campo.
02) Um dos efeitos do chamado “milagre econômico” foi
a ascensão social dos trabalhadores domésticos,
sobretudo das mulheres empregadas em serviços de
limpeza em residências.
04) A expansão da produção industrial promoveu a
valorização de profissões associadas ao novo padrão
de gestão e organização do trabalho, que se tornou
mais burocratizado e racionalizado.
08) As perspectivas de ascensão social alimentadas pela
classe média foram reforçadas pela consolidação do
sistema universitário que, por meio da educação
superior, criou novas possibilidades de qualificação
profissional.
16) A camada de trabalhadores especializados foi
ampliada em setores significativos da expansão
produtiva, tais como a indústria automobilística,
alterando o perfil do proletariado de regiões
altamente industrializadas.
 
resposta: 28

UEM 2008 – verão

Questão 18
Considere a seguinte afirmação:
“A democracia no Brasil é algo muito recente e ainda
está se consolidando. Ela continuará crescendo se as
regras institucionais para as eleições e o exercício do
poder forem ampliadas, para possibilitar a participação da
população, e se os movimentos sociais tiverem mais
liberdade para lutar pela manutenção dos direitos
fundamentais e a criação de novos direitos. Somente
quando a maioria da população tiver educação de
qualidade, condições de se alimentar adequadamente e
condições de vida social decente poderemos ter
democracia no Brasil. Enquanto isso, temos uma
democracia ‘capenga’”. (TOMAZI, Nelson. Sociologia
para o ensino médio. São Paulo: Atual, 2007, p. 124).
Sobre a análise exposta, assinale o que for correto.
 
01) Podemos deduzir do texto que, para o autor, a
qualidade de um regime democrático pode variar no
tempo e no espaço. Ele nos sugere que a presença e a
estabilidade do sistema eleitoral são apenas
indicadores mínimos para definir o grau de
democracia que existe em uma determinada
sociedade.
02) Podemos concluir do texto que, em uma democracia,
os partidos políticos não são tão importantes. Assim,
a democracia brasileira seria melhor se as regras
eleitorais reconhecessem os movimentos sociais
como instituições de representação, e não os partidos
políticos.
04) Podemos concluir do texto que as deficiências da
democracia brasileira têm relação com o fato de que
tivemos, ao longo da história republicana, a vigência
de longos períodos de regimes autoritários.
08) De acordo com o texto, a consolidação da democracia
brasileira não depende de mudanças na estrutura
jurídica do Estado.
16) Para o autor, a qualidade de uma democracia pode ser
medida observando-se os seguintes indicadores: as
regras institucionais vigentes, as condições dadas
para a construção de ações coletivas e a maneira
como os recursos materiais estão distribuídos.
 
resposta: 21

UEL 2010

26) A questão das classes sociais na Sociologia tem diferentes formas de explicação. Dentre as explicações clássicas, as de Marx e Weber. Atualmente encontramos estudiosos que analisam a estrutura social brasileira de diferentes maneiras:
  1. A Classe C é a classe central, abaixo da A e B e acima da D e E. […] a faixa C central está compreendida entre os R$ 1064 e os R$ 4561 a preços de hoje na grande São Paulo. A nossa classe C está compreendida entre os, imediatamente acima dos 50% mais pobres e os 10% mais ricos na virada do século. […] A nossa classe C aufere em média a renda média da sociedade, ou seja, é classe média no sentido estatístico. A classe C é a imagem mais próxima da média da sociedade brasileira. Dada a desigualdade, a renda média brasileira é alta em relação aos estratos inferiores da distribuição. (Adaptado de: NERI, M. C.; COUTINHO DE MELO, L. C. (coordenadores). Miséria e a nova classe média na década da igualdade. Rio de Janeiro: FGV/IBRE, CPS, 2008, p. 34-35.)
  2. A reorganização do processo de acumulação no Brasil [após os anos de 1990] acarreta consequências imediatas nas relações sociais, no trabalho, no emprego e nas classes sociais dele resultantes. Assim, podemos concordar que o operariado industrial perdeu o seu peso relativo na nossa sociedade […]. É certo que a classe trabalhadora […] se multiplicou em diferentes grupos sociais, uns talvez mais atomizados ou desorganizados […]. Também percebe-se, […] que houve um processo de financeirização da classe hegemônica brasileira, que acabou reduzindo ainda mais os setores dominantes, sobretudo entre os banqueiros, as multinacionais e os grupos econômicos, mesclados entre si com o capital financeiro e o capital internacional.(Adaptado de: OLIVEIRA, F. et al. Classes sociais em mudança e a luta pelo socialismo. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2002, p. 27-28.)
Considerando as duas teorias e os dois tipos de análise dos estudiosos, é correto afirmar que as análises de
a) I e II concordam com Max Weber simultaneamente.
b) I e II concordam com Karl Marx simultaneamente.
c) II concorda com Max Weber e as de I com Karl Marx.
d) I e II discordam igualmente com Karl Marx e com Max Weber.
e) II concorda com Karl Marx e as de I concorda com Max Weber.

 

Resposta: E

Blog Stats

  • 1.353.336 visitas
%d blogueiros gostam disto: