Unesp 2013

(Unesp 2013)  Hoje, a melhor ciência informa que as etnias são variações cosméticas do núcleo genético humano, incapazes sozinhas de determinar a superioridade de um indivíduo ou grupo sobre outros. Segundo o médico Sérgio Pena, não somos todos iguais, somos igualmente diferentes. É uma beleza, do ponto de vista da antropologia genética, esperar que, um dia, ela ajude a desvendar o enigma clássico da condição humana que é a eterna desconfiança do outro, do diferente, do estrangeiro. O DNA nada sabe desse sentimento. No seu coração genético, a espécie humana é tão mais forte e sadia quanto mais variações apresenta.

(Fábio Altman. Unidos pelo futebol … e pelo DNA. Veja, 09.06.2010. Adaptado.)

 

Esta reportagem aborda o tema das diferenças entre as etnias humanas sob um ponto de vista contrastante em relação a outras abordagens vigentes ao longo da história. Em termos éticos, trata-se de uma abordagem promissora, pois

a) opõe-se às teorias antropológicas que criticaram o etnocentrismo ocidental em seu papel de justificação ideológica do colonialismo.

b) apresenta argumentos científicos que provam o caráter prejudicial da miscigenação para o progresso da humanidade.

c) fornece uma fundamentação científica para justificar estereótipos racistas presentes no pensamento cotidiano e no senso comum.

d) permite um questionamento radical dos ideais universalistas inspiradores de políticas de preservação dos direitos humanos.

e) estabelece uma ruptura com teorias eugenistas que defenderam a purificação racial como meio de aperfeiçoamento da humanidade.

 

Resposta: E

UEM 2008 – inverno

18 – “Todos nós sabemos da existência de um certo tipo
de ‘organização social’ entre animais não humanos,
não apenas entre mamíferos superiores, tais como os
macacos, por exemplo, mas também insetos:
formigas, cupins e abelhas, notadamente. (…)
Quando comparamos as ‘sociedades’ animais não
humanas, particularmente a sociedade daqueles
insetos, o fazemos porque constatamos que o
comportamento de tais animais apresenta certas
padronizações parecidas com algumas
padronizações verificadas entre os seres humanos”
(VILA NOVA, Sebastião. Introdução à Sociologia.
São Paulo: Atlas, 1985, p. 29).
Considerando o que diz o texto acima, assinale o
que for correto.
01) Segundo o autor, não há diferença essencial
alguma entre o estudo das sociedades humanas
feito pela sociologia e o das sociedades de
insetos feito pela entomologia.
02) De acordo com o texto, homens e animais são
padronizados devido ao peso da herança
genética em todos os tipos de sociedades.
04) Podemos concluir do texto que são os fatores do
meio ambiente que levam à padronização dos
comportamentos dos animais e dos seres
humanos.
08) Segundo o autor, se não fosse a descoberta das
leis de padronização das sociedades de animais,
os sociólogos não teriam se interessado pelas
leis de padronização existentes nas sociedades
humanas.
16) Podemos deduzir do texto que tanto os
pesquisadores dos animais quanto os sociólogos
se preocupam com as ações regulares
produzidas pela vida em sociedade.
 
resposta: 16

Blog Stats

  • 1.395.062 visitas
%d blogueiros gostam disto: