ENEM 2015

Q25 (Enem 2015 – azul)  Não nos resta a menor dúvida de que a principal contribuição dos diferentes tipos de movimentos sociais brasileiros nos últimos vinte anos foi no plano da reconstrução do processo de democratização do país. E não se trata apenas da reconstrução do regime político, da retomada da democracia e do fim do Regime Militar. Trata-se da reconstrução ou construção de novos rumos para a cultura do país, do preenchimento de vazios na condução da luta pela redemocratização, constituindo-se como agentes interlocutores que dialogam diretamente com a população e com o Estado.

GOHN, M. G. M. Os sem-terras, ONGs e cidadania. São Paulo: Cortez, 2003 (adaptado).

 

No processo da redemocratização brasileira, os novos movimentos sociais contribuíram para

a) diminuir a legitimidade dos novos partidos políticos então criados.

b) tornar a democracia um valor social que ultrapassa os momentos eleitorais.

c) difundir a democracia representativa como objetivo fundamental da luta política.

d) ampliar as disputas pela hegemonia das entidades de trabalhadores com os sindicatos.

e) fragmentar as lutas políticas dos diversos atores sociais frente ao Estado.

 

Resposta: B

Anúncios

UEM 2009 – inverno

Questão 03
Considerando o shopping center como um dos espaços
contemporâneos nos quais as relações sociais podem se
estabelecer, assinale o que for correto.
 
01) Sua origem está nas lojas de departamento do século
XIX, na medida em que esses espaços, como aqueles,
constituem-se em lugares de encontro e de
sociabilidade burguesa.
02) O seu sistema de comercialização é baseado em um
tipo de ação social tradicional, tendo por fundamento
os costumes arraigados e as relações familiares.
04) As decisões de implantação e de construção desse
estabelecimento são geralmente tomadas por
pequenos empreendedores, motivados pelo interesse
em promover projetos de desenvolvimento social.
08) Trata-se de um espaço público, pois incorpora, no
formato de uma “cidade artificial”, todas as
dimensões de direitos e de participação política
encontradas na “cidade real”.
16) Ao associar as mercadorias a diversas formas de
espetáculos, ele transforma o consumo de
necessidades em consumo orientado pelo prazer.
 
resposta: 17

UEL 2006

23- “Uma esfera pública não-estatal, conforme rezam todas as
inspirações teóricas que mostram o trânsito tenso para
uma democracia real em um mundo globalizado, tem
todo o direito a se produzir como espaço público ativo
desde que suas práticas e presença tenham uma
interlocução constante com o contexto político da
sociedade e do Estado, o que implica em que sejam
também espaço inovador de circulação de idéias e de
experiências de participação democrática. As instituições
voltadas à filantropia empresarial falham precisamente
neste aspecto: externamente, evitam incorporar-se ao
debate sobre as decisões governamentais, e sua
presença diante do Estado aparece apenas pelo lado
tradicionalíssimo de pressão por seus interesses
econômicos e financeiros, não escondidos em sua
demanda de ser intermediária de recursos públicos.
Internamente, diante de sua clientela específica, o modo
de funcionamento de sua ação social também reproduz
algo muito tradicional: transforma cidadãos designados
como sujeitos de direitos em receptores de favores e
generosidades, e, desse ângulo, a diferença com o velho
modo de se fazer caridade repousa unicamente na
excelência dos programas adotados e no compromisso
de quem os cria.” (PAOLI, M. C. Empresas e
responsabilidade social: os enredamentos da cidadania
no Brasil. In: SOUZA SANTOS, B. (Org.) Democratizar a
Democracia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
p. 413.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre
cidadania e programas sociais das empresas, é
correto afirmar:
a) Os programas sociais das empresas constituem-se
em espaço público ativo, pois, por meio de programas
filantrópicos, usurpam os papéis do Estado.
b) As empresas se engajam em programas de
responsabilidade social visando a consolidar
uma justa distribuição de renda no país.
c) Os programas sociais desenvolvidos pelas
empresas são construídos democraticamente,
pois são elaborados no processo de interlocução
com a sociedade e com o Estado.
d) Ao mesmo tempo que buscam garantir acesso
às benesses do Estado, as empresas
distanciam-se, em seus programas sociais, da
construção de uma cidadania fundada na
participação democrática.
e) O desenvolvimento de programas sociais pelas
empresas, especialmente na última década,
expressou a generosidade como característica
inerente ao povo brasileiro.
resposta: D

Blog Stats

  • 1.202.920 visitas
%d blogueiros gostam disto: