UEM 2008 – verão

Questão 07
Sobre a cidadania no Brasil, assinale o que for correto.
 
01) Durante o governo de Getúlio Vargas, entre 1930 e
1945, pela primeira vez, os direitos sociais foram
universalizados, chegando a amplas parcelas da
sociedade brasileira. Esse processo foi acompanhado
pelo fortalecimento e pela autonomia das
organizações operárias.
02) Os Estatutos da Criança e do Idoso exemplificam as
modificações recentes que a cidadania sofreu no
contexto brasileiro, incorporando novas demandas ao
seu conteúdo.
04) A Constituição de 1988, apesar de ser denominada
por muitos Constituição Cidadã, não produziu
mudanças legais significativas em termos de extensão
dos direitos de cidadania.
08) O Fórum Social Mundial resultou da iniciativa de
alguns brasileiros e é um movimento que se
posiciona contra a atual ordem econômica
globalizada, que tem restringido direitos sociais de
cidadania até então assegurados por leis.
16) A extensão dos direitos de cidadania às classes
populares esteve, historicamente, sob o controle
estrito das elites, já que não houve movimentos
sociais capazes de questionar essa situação.
 
resposta: 10
Anúncios

UEM 2008 – inverno

08 – Sobre as mudanças sofridas pelo Estado brasileiro,
os padrões que marcaram sua relação com a
sociedade civil e as interpretações produzidas sobre
essa temática, assinale o que for correto.
 
01) A passagem do Império para a República
implicou fortes transformações na organização
do poder político. Conforme exigências da nova
ordem, a denominada Primeira República
dissolveu o fenômeno da apropriação privada do
Estado pelas oligarquias.
02) O conceito de “modernização conservadora” é
aplicado para designar o grande controle que o
Estado exerceu sobre os processos de mudança
ocorridos no Brasil, como, por exemplo, aqueles
relacionados à industrialização.
04) A ascensão de Getúlio Vargas ao poder
promoveu, pela primeira vez no Brasil, a
inclusão, de forma autônoma, da classe
trabalhadora nos centros decisórios de políticas.
Por isso, esse estadista foi denominado “o pai
dos pobres”.
08) O patrimonialismo atribuído ao Estado
brasileiro por vários teóricos corresponde, entre
outros fatores, às relações de lealdade que se
estabeleceram entre os detentores do poder e
determinados grupos de elite. Como resultado,
dificultou-se a consolidação de uma burocracia
moderna para gerir a máquina pública do país.
16) No Brasil, o poder executivo concentrou,
historicamente, as maiores parcelas de poder
político. Ao lado de outros elementos, esse fato
explica a fragilidade do sistema partidário
brasileiro em cumprir sua função de permitir a
expressão e de garantir os direitos dos diferentes
grupos existentes em nossa sociedade.
 
resposta: 26

UEL 2010

Leia o texto a seguir e responda às questões 22 e 23.

 

No romance de Monteiro Lobato O Presidente Negro (1926), livro de ficção sobre os EUA, o personagem principal vê o futuro, o século XXI, ano de 2228, através de um porviroscópio, e tece algumas considerações sobre o estágio do choque das “raças” naquele contexto.
[…] Até essa época a população negra representava um sexto da população total do país. A predominância do branco era pois esmagadora e de molde a não arrastar o americano a ver no negro um perigo sério. Mas com o proibicionismo coincidiu o surto das idéias eugenísticas de Francis Galton. As elites pensantes convenceram-se de que a restrição da natalidade se impunha por 1001 razões, resumíveis no velho truísmo:
qualidade vale mais que quantidade. […] Os brancos entraram a primar em qualidade, enquanto os negros persistiam em avultar em quantidade. […] Mais tarde, quando a eugenia venceu em toda a linha e se criou o Ministério da Seleção Artificial, o surto negro já era imenso. […] (Felizmente), muito cedo chegou o americano à conclusão de que os males do mundo vinham dos três pesos mortos que sobrecarregam a sociedade – o vadio, o doente e o pobre. Em vez de combater esses pesos mortos por meio do castigo, do remédio e da esmola, como se faz hoje, adotou solução mais inteligente: suprimi-los. A eugenia deu cabo do primeiro, a higiene do segundo e a eficiência do último.
(LOBATO, M. O Presidente Negro. São Paulo: Globo, 2008, p.97 e p.117, grifos do autor)

 

22) Constituem exemplos de políticas eugenísticas promovidas como política oficial de Estado:
I. O apartheid na África do Sul, em vigor até o início dos anos de 1990.
II. As ações dos cidadãos comuns da Ku-Klux-Klan nos Estados Unidos, sobretudo nos anos 1960, com o crescimento do movimento dos direitos civis em defesa da raça branca.
III. A implantação dos campos de concentração na Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial.
IV. O movimento Anauê no Brasil, promovido por Plínio Salgado e base das milícias integralistas criadas por Getúlio Vargas.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

 

Resposta: B

UEL 2008

28) Max Weber, sociólogo alemão, conceituou três tipos ideais de dominação: dominação legal, dominação tradicional e dominação carismática. São tipos ideais porque são construções conceituais que o investigador utiliza para fazer aproximações entre a teoria e o mundo empírico.
Leia a seguir o trecho da Carta Testamento de Getúlio Vargas:
Sigo o destino que é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo.
(VARGAS, G. Carta Testamento. Disponivel em: http://www.cpdoc.fgv.br/dhbd/verbetes_htm/5458_53.asp. Acesso em: 17 nov. 2007.)
Com base nos conhecimentos sobre os tipos ideais de dominação e levando em consideração o texto citado e as características históricas e políticas do período, assinale a única alternativa que apresenta a configuração correta do tipo de dominação exercida por Getúlio Vargas.
a) Dominação carismática e tradicional.
b) Dominação tradicional que se opõe à dominação carismática.
c) Dominação tradicional e legal.
d) Dominação legal e carismática.
e) Dominação legal que reforça a dominação tradicional.
resposta: D

UEL 2005

24- “Luiz Ignácio Lula da Silva é o 21º presidente a governar o
Brasil desde que Getúlio Vargas se suicidou, há cinqüenta
anos, em meio a uma turbulenta crise política. Getúlio
assombrou, de uma forma ou de outra, todos eles. Para
muitos, governar significou usar as instituições e modelos
que, implementados por Vargas na década de 30,
fundaram o Brasil moderno. Após Fernando Collor (1990-
1992), parte do trabalho dos governantes é tentar
desmontar o que se convencionou chamar de a herança
da ‘era Vargas’”. (Folha de São Paulo, São Paulo, 22 ago.
2004. Caderno Especial, p. A 1.)
Assinale a alternativa que apresenta características da
“herança da era Vargas”, combatidas por esses
governos a partir da década de 1990.
a) Desequilíbrio entre os três poderes, instaurado por Getúlio
Vargas, quando, munido da Constituição de 1937, atribuiu
ao Executivo direitos absolutos de comando.
b) Traços de forte liberalização, que visam restringir a
regulação e a intervenção estatal na economia; legislação
trabalhista acentuadamente flexível, ancorada,
principalmente, na negociação direta entre trabalhadores
e empresários.
c) Caráter “entreguista”, marca do governo Vargas,
manifestado na política econômica que busca atender às
demandas do mercado interno através de importações
crescentes.
d) Presença de órgãos de fiscalização à imprensa, como o
DIP – Departamento de Imprensa e Propaganda –
responsáveis por monitorar e censurar os meios de
comunicação.
e) Presença expressiva do Estado na economia,
especialmente por meio de empresas estatais; legislação
trabalhista minuciosa e corporativista.
resposta: E

UEL 2003

28 – Nas eleições presidenciais de 1930, a plataforma eleitoral da Aliança Liberal, encabeçada por Getúlio Vargas, prometia:
“(…) estabilidade, previdência social, proteção do trabalho das mulheres e menores, a instrução, a educação, a higiene, a alimentação e habitação, crédito, esporte e cultura para ‘o proletariado urbano e rural’ (…). Estes termos [da plataforma] eram então – e seriam depois – o de reconhecer os direitos de participação social e política apenas como problema administrativo e legal do Estado, negando-lhes caráter político; (…) conceber o Estado como poder que ‘acode’ os fracos e desamparados, sendo a tutela, portanto, dever de justiça social. (…) Tudo aquilo que havia sido formulado pelo movimento operário em sua experiência no espaço capitalista de produção foi aspirado por este novo Estado, e nele foram sufocadas as formas de organização e combate até então levadas.” (PAOLI, Maria Célia. Trabalhadores e cidadania. Experiência do mundo público na história do Brasil moderno. Estudos Avançados, São Paulo, n. 7, p. 50-51, set. / dez. 1989).
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o período getulista, é correto afirmar:
a) O governo de Getúlio Vargas ignorou as reivindicações trabalhistas feitas pelo movimento operário.
b) A superação da discriminação de classe resultou da concessão de todos os direitos demandados pelos operários.
c) A experiência política dos trabalhadores foi controlada por práticas autoritárias do Estado, embora tenham sido concedidos direitos trabalhistas aos operários.
d) O movimento operário encontrou no governo de Getúlio Vargas a expressão de um Estado comunista, voltado diretamente aos interesses dos trabalhadores.
e) A livre participação social e política dos operários no governo de Getúlio Vargas consolidou plenamente os direitos de cidadania.
resposta: C

Blog Stats

  • 965,970 visitas
%d blogueiros gostam disto: